segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Um Filme de... Os Amigos - O filme



O Rio de Janeiro se encontra no meio do festival de cinema mais falado do Brasil, o Festival do Rio. Uma grande oportunidade para assistir aos filmes que irão entrar em circuito no próximo ano, e ainda aqueles que não estão programados para tal. Dentre a minha agenda consegui assistir alguns filmes da amostra Cine Encontro que acontece no Armazém Utopia (espaço maravilhoso, rústico e super aconchegante para um dia de cinema).

O primeiro da minha lista foi o filme Os Amigos da cineasta Lina Chamie. Este é o seu quarto longa metragem, e acompanha um dia na vida do Théo - personagem do ator Marco Ricca, um arquiteto da cidade de São Paulo que acabará de perder seu amigo de infância.

 O filme é sublime, forte, e emocionante.



Os Amigos fala mais do que sobre a aceitação da morte. É um filme que acima de tudo, na minha opinião, é um filme sobre a vida, sobre a existência. No processo de aceitação da perda do melhor amigo, que por circunstância da vida não estava mais tão próximo, Théo começa a se questionar, e a prestar mais a atenção nos detalhes que a vida lhe dá, e que na correria cotidiana se perde ao meio de tantos afazeres. Com a ajuda de sua amiga Majú, personagem vivido pela atriz Dira Paes, Théo consegue superar o trágico e a recomeçar  a sua vida.

Lina Chamie costura o filme com histórias de Ulysses de James Joyce e Ulisses da Guerra de Tróia, e a bela fotografia de Jacob Solitrenick transforma os momentos encenados por crianças em um trunfo espetacular para os momentos de transformação emocional do personagem de Marco Ricca. É um filme mágico, que te envolve na história e te faz refletir sobre toda a temática nele apresentada, além do espectador se enxergar em alguns, se não em muitos dos momentos vividos pelos personagem.

"A escolha dos atores foi com a inteligência do afeto. Confio muito nos sentimentos para escolher quem vai atuar nos meus filmes."
                                                                                                                        Lina Chamie

A diretora nos surpreende ao final, onde coloca "um filme de". Lina Chamie disse que a ideia original não é dela, mas é sensacional, pois o filme realmente é feito por todos, pelos amigos ali presentes e unidos por um único objetivo.

Lina Chamie e todos envolvidos na produção deste longa, digo que Os Amigos é Um Filme de extrema amizade e sinceridade.

OS AMIGOS 
Brasil (SP), 2013, 89 min, 12 anos.
Direção/Roteiro: Lina Chamie
Empresa Produtora: Girafa Filmes / Dezenove Som e Imagens
Produção Executiva:Sara Silveria e Maria Ionescu
Diretor de Fotografia: Jacob Solitrenick, ABC
Diretora de Arte: Mara Abreu
Trilha Musical: Camille Saint-Saens, Edvard Grieg e Benjamin Britten
Montagem: Karen Harley




domingo, 29 de setembro de 2013

Festival de Cinema do Rio de Janeiro



Na última quinta-feira, 26, foi dada a largada para a maratona de filmes a serem exibidos no Festival do Rio. É a grande oportunidade de ver os filmes que ainda irão entrar em circuito, e claro votar nos favoritos durante a amostra competitiva. Grandes premieres são esperadas, entre elas o documentário sobre o jornalista Tim Lopes, entre outras.

Confira toda a agenda cinematográfica no site oficial do evento:

www.festivaldorio.com.br

sábado, 13 de abril de 2013

Faroeste Caboclo - O filme

O filme que tem como base a saga de João de Santo Cristo narrada na música da Legião Urbana, que foi composta por Renato Russo, será lançado em 30 de maio deste ano.





Resumo da trama

João era criança quando testemunhou seu pai ser assassinado por um policial. Após a morte da mãe, inicia sua jornada para fugir da pobreza, ainda que a missão lhe custe assassinatos, prisões e o trabalho como vendedor de drogas, serviço que presta em Brasília para Pablo, seu primo distante. Ao se tornar um bem-sucedido traficante e ainda conquistar a bela Maria Lúcia, João atrai o ódio de jovens ricos, sobretudo Jeremias, que chefia o comércio local de drogas com o apoio do policial corrupto Marco Aurélio.

Maria Lúcia resolve se casar com Jeremias em troca da sobrevivência do homem que ama, mas a união aumenta ainda mais o ódio de João, que foge da prisão e desafia o rival para o último duelo.


vejam o trailer oficial do filme.






Elenco: Fabrício Boliveira, Isis Valverde, Felipe Abib, Antonio Calloni, César Trancoso, Marcos Paulo, Flávio Bauraqui, Lica Oliveira , Cinara Leal, Juliana Lohmann , Rodrigo Pandolfo, Leonardo Rosa, Tulio Starling, Romulo Augusto, Andrade Junior, Caco Monteiro , entre outros.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Pré-estreia De Pernas Pro Ar 2 (O Filme)



No último dia 12 foi realizada a pré-estreia do filme De Pernas Pro Ar 2 no cinema da Barra da Tijuca - RJ. Com uma grande comemoração artistas e produtores receberam os seus convidados para prestigiarem a mais nova produção cinematográfica brasileira.
Seguindo a linha do primeiro filme, De Pernas Pro Ar 2 está mais engraçado e emocionante. Alice, personagem de Ingrid Guimarães está mais workaholic do que nunca, irá entrar em cada situação engraçada junto com sua amiga e sócia Marcela (Maria Paula) que fará você passar mal de tanto rir.
O cinema brasileiro mostra que consegue fazer comédia tão boa quanto as de Hollywood, e em 28 de dezembro os cinéfilos de plantão poderão conferir o mais novo lançamento de Mariza Leão.

Cinideia super recomenda o filme De Pernas pro Ar 2 com Ingrid Guimarães, Maria Paula, "Octopussy" e grande elenco.


Confira o que rolou na pré-estreia do RJ.




















quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Pré-estreia do filme Um Homem Qualquer

Um Brainstorm Cinematográfico




Na última segunda-feira,27, aconteceu a pré-estreia do filme de Caio Vecchio. O diretor reuniu atores e convidados no Unibanco Arteplex no RJ para a exibição do seu novo filme. Caio que já produziu vários curtas, estreia no cinema o seu longa metragem Um Homem Qualquer, que tem grandes participações, como Carlos Vereza, Eriberto Leão e Nanda Costa, entre outros.
O filme não é apenas uma comédia romântica, ele fala com o público, ele é político, e é social.
A história apresenta o personagem Jonas (Eriberto Leão) que é um homem atormentado pelo desemprego, um economista desiludido e atormentado por questões religiosas e sociais, controvérsias filosóficas. Jonas tenta o suicídio, é um homem depressivo  até conhecer a personagem de Nanda Costa, Lia, ela  é atriz e se apaixona por Jonas em frações de segundos, em um mero encontro. Jonas e Lia vivem intensamente uma paixão, até que Jonas  retorna para uma profunda depressão após acreditar que sua namorada o traí.
Jonas começa a se encontrar, achar respostas para as suas perguntas internas quando conhece um mendigo, Isidoro personagem de Carlos Vereza, que é um ex-psiquiatra  que por consequências da vida resolveu se abster do diploma e viver livre pelas ruas. Os dois ficam horas conversando e Jonas começa a encontrar o seu caminho, sua vida começa a ter sentido.
Contigo
Um Homem Qualquer, mostra que ninguém é um qualquer, todos somos um, diferente uns dos outros, e que temos o nosso próprio valor. Um filme político que mostra os efeitos da corrupção na sociedade,  a “maquiagem” que os políticos fazem para disfarçar a real necessidade do povo brasileiro, e o que isso afeta direta e indiretamente cada cidadão.
Uma produção de 2009  chega apenas agora dia 31 de agosto de 2012 nas salas de exibição, pela Encruzilhada Filmes.
Eriberto Leão se mostrou muito orgulhoso com o trabalho, com os olhos brilhando falava com alegria sobre o seu trabalho e dos demais na execução da obra.

Nanda Costa, também, toda orgulhosa disse ter um carinho muito grandecom esse trabalho e que era a primeira vez que estava vendo o filme completo, e ainda declarou:

“Esse foi o meu primeiro personagem grande, importante.”
                                                              Nanda Costa

Caio Vecchio buscou inspiração para o desenvolvimento do roteiro em um morador de rua que vive perto de onde mora  na cidade de São Paulo.

A trilha sonora “Eu Não Existo Sem Você”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes é interpretada por Teresa Cristina, que emociona todos com um gran finalle.





Elenco:                                                               Direção e Roteiro:  Caio Vecchio

ERIBERTO LEÃO (Jonas)                                    Produção Executiva:  Toni Domingues
CARLOS VEREZA (Isidoro)
NANDA COSTA (Lia)                                         Direção de Fotografia: carlos Ebert, ABC
NORIVAL RIZZO (Tico)
Pedro Neschling (Igor)
Arieta Corrêa (Clarissa)                                 
Antônio Petrin (Turco)
Norival Rizzo (Tico)
Luciano Quirino (Segurança)
Teca Pereira (Irinei)
Lulu Pavarin (Sra. Ramos)
José de Abreu (Delegado)


Pré-estreia - Cinideia esteve lá e registrou.





Fotos pré-estreia: Cristiane Santos

quarta-feira, 25 de abril de 2012




Um filme feito para atores. Assim definem a ideia da obra o ator Alex Reis e o diretor Marcoz Gomez.

"A ideia partiu da premissa do diretor Marcoz Gomez querer realizar um filme onde desse oportunidade para que os atores pudessem apresentar o seu trabalho." Alex Reis


O Abajour é uma produção independente, onde os atores e toda a equipe trabalharam como voluntários, juntaram o gosto pelas as artes com o de fazer cinema. Quem pode emprestar casa para locação, emprestou, quem tinha equipamentos, também emprestou, assim como fez o Neto Favaron, que além de emprestar seus equipamentos, ajudou com o trabalho de direção de fotografia.

O filme esbarra na ética, na amizade, na confiança, e principalmente em assuntos que muitos fecham os olhos, a violência que assombra não só a classe média baixa da sociedade, mas sim a classe média alta, jovens que se envolvem com o tráfico em todas as situações, seja apenas usuário de drogas em uma festa na cobertura da Barra, como subindo o morro para comprar drogas. Nesse meio encontramos a personagem do ator Alex Reis, Guilherme, que trabalha como abajour - aquele que entrega para a polícia o movimento da boca de fumo. Entre idas e vindas, amores, famílias, amigos, a trama nos apresenta os caminhos que os nossos atos podem nos levar, e as dificuldades que podemos encontrar em certas escolhas, além de descobrirmos com quem realmente podemos contar no nosso círculo de amizade.

Um filme, independente, sem uso do dinheiro de editais e qualquer outro meio financeiro de apoio as artes cinematográficas (sei o quão difícil é para um realizador fazer um trabalho dessa forma no país em que vivemos), mas nem por isso deixou a desejar. Teve a sua avant-première no Cine Lagoon - Lagoa (RJ) 23-04-12, e está sendo negociado no Festival de Berlim.




É um filme excitante, que prende o espectador até o fim, com uma virada que é o ápice, onde o espectador tem que se encontrar no meio da história junto com cada personagem, enquanto flashs de memórias se intercalam com os acontecimentos atuais. Esse sim é o ponto alto do filme, mas claro não irei contar o porquê e tão pouco como, se não vira spoiler, e claro que quero que você vá assistí-lo na primeira oportunidade.

O Abajour - filme de Marcoz Gomez com Alex Reis e um excelente elenco.

Elenco:

ALEX REIS
ALEXANDRE MACHAFER
AMANDA ALVES
ANGÉLICA TAMIOZZO
CAMILA LORENZO
DANIEL BOUZAS
DANIEL BRAGA
DIEGO KROPOTOFF
ETIENE MASCARENHAS
FABRÍCIO ANONI
JAYRO MACIEL
JOÃO VICTOR GRANJA
KAILANY GUIMARÃES
LUCA MACHADO
LÚCIO FERNANDES
MARCELLA STRUFALDI
MARISLÔVA CARVALHO
NILL GONÇALVES
OSCAR CALIXTO
ROD CARVALHO
RODRIGO MOLINA
SPARTUS ALVES

Participações

ADRIANA BANDEIRA
ALEX RECH
ALEXEI KOBA
FABRÍCIO ANONI
HIGOR CAMPAGNARO
REMO ROCHA
PEDRO VALENTIM
PIETRO VALENTIM
ENZO VALENTIM
ROBSON ROCHA
VERENA ISAACK

Co-produção: Caos e Cinema
Distribuição: Elo Company


Roteiro e Direção: Marcoz Gomez
Produção: Felipe Haurelhuk
Direção de fotografia: Neto Favaron
Assistente de direção: Fabricio Anoni
Assistentes de fotografia: Rafaela Chami, Ricardo Pentagna e Victor Damazio
Direção de Arte: Luiza Fardin e Silvia Sobral
Figurino: Verena Isaack
Audio: Daniela Shaw, Leandro Peska e Alex Teix
Assistente de produção: Fernanda Barreto
Continuísta: Rodrigo Simon
Still: Rodrigo Molina
Maquiagem: Esther Dias

terça-feira, 6 de março de 2012

Oscar - 2012



Semana do Oscar - 2012 se passou... estou um tanto atrasada mas apresento o melhor curta, que levou o oscar em 2012.



domingo, 8 de janeiro de 2012




Cinéfilos... Peguei essa animação no site do youtube na página do jornal O Globo... FELIZ 2012 !!!



terça-feira, 3 de janeiro de 2012

As aventuras de Agamenon - O repórter

2012 começando com estreias para o cinema brasileiro.



Sexta-feira, 06/01, estreia o filme com direção de Victor Lopes e produção de Flávio Tambellini, As aventuras de Agamenon, uma comédia que conta a história de Agamenon Mendes Pereira, que será vivido por Marcelo Adnet e Hubert.

Confiram o trailer no site do Rio Show

Saiba mais acessando o site do filme em; http://agamenonofilme.com.br/

Os melhores de 2011

Saiu a listagem dos Melhores Filmes de 2011, segundo os críticos do jornal O Globo - RJ, confiram:

"O GAROTO DA BICICLETA": Aplaudida de pé como filme do ano pelos Bonequinhos, a parábola dos irmãos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne sobre altruísmo começou a carreira em Cannes, em maio. Saiu de lá com o Grande Prêmio do Júri e foi se consolidando, de país em país, por sua habilidade de gerar poesia a partir de uma narrativa nas raias da secura. Os Dardenne refinam a estrutura de conto moral que perseguem desde "A criança" (2005), usando a amizade entre uma cabeleireira (Cécile De France) e um menino em busca do pai (Thomas Doret) para celebrar a bondade.

"A ÁRVORE DA VIDA": Obra-prima para uns, delírio messiânico para outros, o último filme de Terrence Malick racha opiniões por onde passa, tendo a Palma de Ouro de Cannes como seu selo de qualidade. Uma voz em off que conversa com Deus pontua um debate sobre as manifestações do Divino, da origem do mundo aos EUA dos anos 1950, onde um menino enfrenta o pai (Brad Pitt, majestoso).
"INCÊNDIOS": Ao narrar o périplo de um casal de gêmeos à caça do paradeiro do pai, a versão do canadense Denis Villeneuve para a peça homônima de Wajdi Mouawad flana pelo Oriente Médio deixando conflitos bélicos em segundo plano. Em seu roteiro primoroso, Villeneuve não quer falar de guerras, só buscar verdades sobre indivíduos. Seu Líbano é um ponto de partida para um debate sobre perseverança.
"CÓPIA FIEL": Abbas Kiarostami, um dos pilares do cinema do Irã, sempre dribla as discussões filosóficas em torno desta produção de 7 milhões que rendeu o prêmio de melhor atriz em Cannes para Juliette Binoche. Para o diretor de "Gosto de cereja", o embate entre a galerista Elle (Juliette) e o escritor James Miller (William Shimell), sob o sol da Toscana, é só uma história de amor. Para a crítica, é mais do que isso: é uma lição estética sobre modos de olhar. E sentir.
"DIÁRIO DE UMA BUSCA": Único brasileiro na lista, o longa de Flávia Castro arrebatou prêmios no Brasil e no exterior com seu tráfego poético pelas franjas do público e do privado. Numa engenharia documental baseada em memórias de sua família, Flávia passa os anos de chumbo em revista enquanto investiga quem foi seu pai.
"A PELE QUE HABITO": Separados nas telas desde 1990, Pedro Almodóvar e Antonio Banderas se reuniram numa trama mais próxima das vísceras de Cronenberg do que do melodrama. Ao discutir a relação entre poder e desejo na seara da ciência, Almodóvar usou a cartilha do thriller para eletrizar nervos e transgredir morais.
"MEIA-NOITE EM PARIS": Maior sucesso de bilheteria da carreira de Woody Allen, esta aula ultrarromântica sobre evasão no tempo, pelas vias da arte, reeditou a proposta de "A rosa púrpura do Cairo". Ao "viajar" para a Paris de Picasso e Fitzgerald, Allen fez de Owen Wilson seu alter ego mais criativo.
"O VENCEDOR": Devastador, Christian Bale faturou o Oscar no papel de um ex-boxeador nocauteado pelas drogas que participa, para o bem e para o mal, da ascensão de seu irmão (Mark Wahlberg) nos ringues. Um diálogo com estéticas documentais amplifica a voltagem do drama e das lutas.
"AS PRAIAS DE AGNES": Única representante feminina da Nouvelle Vague francesa dos anos 1960 e diretora de filmes influentes como "Cléo das 5 às 7", a belga Agnès Varda criou um misto de doçura e intimismo nesta autobiografia. Falando de si, ela faz uma ode ao cinema de autor.
"INQUIETOS": Gus Van Sant alcançou uma comunhão rara entre os dois hemisférios de sua obra — o experimentalismo formal de "Elefante" e a narração clássica de "Gênio indomável" — para filosofar sobre a finitude. Frente à morte, Mia Wasikowska e Henry Hopper compõem um casal inesquecível.



* Os melhores filmes de 2011 foram escolhidos por André Miranda, Daniel Schenker, Ely Azeredo, Marcelo Janot, Rodrigo Fonseca, Ruy Gardnier e Susana Schild


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/os-melhores-filmes-de-2011-3526366#ixzz1iPE6Ayzt


E ai, curtiram?